Brazil Inner Menu

Relatório Anual 2014 do PNUMA destaca vários sucessos ambientais

Nairobi, 20 de maio de 2015 – O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) divulgou nesta terça-feira, 19, o Relatório Anual 2014, apresentando sucessos ambientais globais, tais como a recuperação da camada de ozônio, avanços significativos em investimentos de energias renováveis e a primeira Assembleia Ambiental das Nações Unidas (UNEA, na sigla em inglês).

O maior sucesso do ano aconteceu em Setembro, quando a Avaliação Científica do Esgotamento da Camada de Ozônio 2014, um relatório do PNUMA e da Organização Meteorológica Mundial (OMM), confirmou que a camada de ozônio está se recuperando e pode retornar aos níveis pré-1980 até a metade do século, graças a ações tomadas pelos Estados-Membros no âmbito do Protocolo de Montreal para eliminar as substâncias que prejudicam a camada.

De acordo com os novos modelos divulgados pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, o Protocolo de Montreal e suas emendas proporcionam os seguintes benefícios para a saúde daqueles nascidos entre 1890 e 2100 apenas nos Estados Unidos:

  • 283 milhões de casos de câncer de pele prevenidos, dos quais 8,3 milhões são de melanoma.
  • 1,6 milhões de mortes por câncer de pele evitadas
  • 46 milhões de casos de catarata impedidos

O relatório também destaca avanços nas energias renováveis. Nos países em desenvolvimento, onde renováveis estão em melhor posição para lidar com a falta crônica de acesso à energia, investimentos em energia limpa cresceram 36%, para $ 131 bilhões de dólares em 2014 - no caminho para superar o investimento em países desenvolvidos, que alcançaram US $ 139 bilhões.

Na primeira UNEA, mais de 1000 participantes passaram 17 resoluções e duas decisões que incentivam ações internacionais sobre questões que vão desde os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluindo Consumo e Produção Sustentáveis, o problema crescente do comércio ilegal de animais selvagens e a poluição do ar.

O progresso global aconteceu indistintamente, incluindo garantir aos países que usufruam dos benefícios que os ecossistemas prestam à humanidade. Depois de exercer um papel chave em muitas iniciativas globais visando o aumento da conscientização sobre a necessidade de valorizar a natureza ao longo da última década, o PNUMA trabalha agora com um recorde de 58 países que favorecem o capital natural em seus planos de desenvolvimento.

Outro sinal do aumento da conscientização da necessidade de conservar os ecossistemas e a biodiversidade veio da notícia de que 15,4% das áreas de águas terrestres e fluviais e 3,4% do oceano do mundo são agora designadas como áreas protegidas. 

Esse relatório mostrar outros tantos sucessos – dos 128 países signatários da Convenção de Minamata sobre o mercúrio aos mercados financeiros que mostram cada vez mais o compromisso com a incorporação de riscos ambientais em investimentos, bem como a Parceria para Veículos e Combustíveis Limpos, que acelera ações globais direto ao ponto em que apenas três países ainda usam gasolina com chumbo.

Há também relatos de mudança nas práticas comerciais locais, que comprovam que o setor privado está vendo a vantagem - e lucros - de agir de forma sustentável. No Brasil, por exemplo, uma empresa economizou US $ 750 mil em um ano, agindo de forma sustentável. E no Camboja, um fabricante de lanches implementou tecnologia de resíduos de biomassa agrícola, o que levou a uma economia de 60.413 litros de óleo por ano, evitando cerca de 159 toneladas de emissões de gases de efeito estufa.

Nota aos Editores

O RELATÓRIO ANNUAL 2014 DO PNUMA, em inglês, está disponível para download aqui 

Para maiores informações, por favor entre em contato:

 Shereen Zorba, Chefe da Assessoria de Imprensa, PNUMA-Sede

+254 788 526000, Shereen.Zorba@unep.org or unepnewsdesk@unep.org